Marrakesh é uma cidade cheia de história, cultura, cores e obras-primas seculares de arquitetura. É uma mistura de África, Europa e Oriente Médio.

A cosmopolita e misteriosa Marrakesh está localizada entre o deserto, montanhas e oceano, no centro-sudoeste do Reino do Marrocos. Perto de vários destinos, é ponto de parada obrigatória para a cordilheira do Atlas e o deserto do Saara.

É conhecida por “Cidade Vermelha” por causa das suas construções em terracota. Também é chamada de “Pérola do Sul”, por sempre ter sido um importante ponto comercial entre o sul do Mediterrâneo e o sul do continente africano.

A HISTÓRIA DE MARRAKESH

Marrakesh é uma das quatro cidades imperiais do país, que foram capitais das antigas dinastias. (As outras são Fez, Meknès e Rabat, a atual capital). A sua história pode ser dividida entre cinco períodos de dinastias, as Almoravid, Almóada, Merinide, Saadiana e Alaouita.

Como cidade, Marrakesh foi fundada em 1062 pelo emir Youssef Ibn Tachfin, apesar de ter sido antes ocupada por agricultores berberes. Com o rápido crescimento, logo se tornou a capital do Reino. Ben Youssef, filho de Tachfin, expandiu a cidade, construiu mesquitas, palácios, um sistema de irrigação subterrâneo e a extensa muralha da Medina. Esse período marcou a primeira dinastia de Marrakesh.

A segunda dinastia começou no século XII, quando a cidade foi tomada e saqueada por tribos berberes. Novas construções datam desta época, como a mesquita de Koutoubia.

Em seguida, houve guerras entre califas e os nômades Merinides tomaram a cidade, levando-a a um forte declínio. No final do século XIII perdeu seu status de capital para Fez.

No início do século XVI, Marrakesh revive a prosperidade, quando o sultão Saadiano Ahmed El-Mansour reconstrói monumentos.

Desmoronada a herança saadiana, entra a dinastia Alaouita que restaura diversas construções. No século XX, revoltas políticas levaram Marrakesh a ser governada pelo Pasha Thami el Glaoui, até o fim do protetorado, período de ocupação francesa.

Em 1956, Marrocos conquista a independência e Mohammed V (da dinastia Alaouita) retorna do exílio, tornando-se Rei. Seu filho, Hassan II, seguiu o reinado até 1999 e o neto Maomé VI é o atual rei do Marrocos.

Marrakesh é sem dúvida um dos melhores destinos de Marrocos onde você encontra cultura, história, gastronomia, compras, arquitectura, espiritualidade e entretenimento.

Repleto de lojas, antigos palácios e museus interessantes, Marrakech promete mantê-lo ocupado por vários dias.

Não perca os jardins de Menara, Museu de Marrakech, os Túmulos Saadianos entre outros monumentos da cidade. Se pretende uma noite de insanidade cultura centenária, então junte-se a uma roda e dance ao som dos músicos da famosa Praça Jemaa el Fna.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marrakesh é uma cidade cheia de história, cultura, cores e obras-primas seculares de arquitetura. É uma mistura de África, Europa e Oriente Médio.

A cosmopolita e misteriosa Marrakesh está localizada entre o deserto, montanhas e oceano, no centro-sudoeste do Reino do Marrocos. Perto de vários destinos, é ponto de parada obrigatória para a cordilheira do Atlas e o deserto do Saara.

É conhecida por “Cidade Vermelha” por causa das suas construções em terracota. Também é chamada de “Pérola do Sul”, por sempre ter sido um importante ponto comercial entre o sul do Mediterrâneo e o sul do continente africano.

A HISTÓRIA DE MARRAKESH

Marrakesh é uma das quatro cidades imperiais do país, que foram capitais das antigas dinastias. (As outras são Fez, Meknès e Rabat, a atual capital). A sua história pode ser dividida entre cinco períodos de dinastias, as Almoravid, Almóada, Merinide, Saadiana e Alaouita.

Como cidade, Marrakesh foi fundada em 1062 pelo emir Youssef Ibn Tachfin, apesar de ter sido antes ocupada por agricultores berberes. Com o rápido crescimento, logo se tornou a capital do Reino. Ben Youssef, filho de Tachfin, expandiu a cidade, construiu mesquitas, palácios, um sistema de irrigação subterrâneo e a extensa muralha da Medina. Esse período marcou a primeira dinastia de Marrakesh.

A segunda dinastia começou no século XII, quando a cidade foi tomada e saqueada por tribos berberes. Novas construções datam desta época, como a mesquita de Koutoubia. Em seguida, houve guerras entre califas e os nômades Merinides tomaram a cidade, levando-a a um forte declínio. No final do século XIII perdeu seu status de capital para Fez.

Marrakesh é sem dúvida um dos melhores destinos de Marrocos onde você encontra cultura, história, gastronomia, compras, arquitectura, espiritualidade e entretenimento.

Praça Jemaa el Fna

Repleto de lojas, antigos palácios e museus interessantes, Marrakech promete mantê-lo ocupado por vários dias. Não perca os jardins de Menara, Palacio Bahia, Jardim Majorelle, Museu de Marrakech, os Túmulos Saadianos entre outros monumentos da cidade. Se pretende uma noite de insanidade cultura centenária, então junte-se a uma roda e dance ao som dos músicos da famosa Praça Jemaa el Fna.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *